Olá!!
Antes de iniciar, vamos falar sobre uma discussão que existe na Alemanha sobre o ensino das universidades. Culturalmente na Alemanha o valor da Tuition (valor do curso) é simbólico.
Isso quer dizer, não existe um valor mais caro ou barato conforme a qualidade da universidade ou o status dela. O valor é padronizado com o intuito de universalizar o ensino e facilitar o acesso de todas as classes ao ensino superior.Uma parte das universidades criticam esse modelo, segundo eles, não adianta a Alemanha cobrar o valor simbólico enquanto países como Inglaterra e Estados Unidos cobram tuition (valor do curso) mais alta. As universidades desses países podem reinvestir esses valores em novos prédios, inovação, melhores professores, tecnologia, marketing entre muitas outras áreas. Antes de saber como conseguir uma bolsa é interessante saber de onde elas vem. As Universidades americanas geralmente são muito bem ranqueadas nas listas de universidades pelo mundo. Elas tem um diferencial que poucas universidades no mundo conseguem executar com excelência. Esse diferencial se chama“endowment”que é um departamento exclusivo para receber as doações de ex-alunos, os chamados “Alumni”. Esse departamento não se limita apenas a um “call center” que liga para os ex- alunos solicitando doações para a Universidade. Na verdade o “endowment” faz parte da cultura americana, que começa desde o processo seletivo da universidade.

Quando a universidade seleciona os estudantes que ingressarão na universidade o histórico escolar é muito importante, mas não é que define a aceitação ou não. A análise vai muito mais afundo. A Universidade, procura por perfil de estudantes que futuramente possa alavancar o nome da universidade, seja no campo dos esportes, das pesquisas científicas, na medicina, na política, nos negócios ou até mesmo no cinema. Portanto, é comum o critério de seleção ser baseado em características de pessoas que tenham ambição em alguma área específica e que futuramente deixará a marca da universidade associadas ao seu nome e isso dará status de universidade formadora de grandes nomes. “A Bolsa é um investimento da universidade no aluno, na esperança de que ele se torne um ganhador do prêmio nobel (por ex.) e prestigie mais o nome da universidade.” A Universidade utiliza o caixa de doações dos Alumini para doar bolsas para os novos estudantes que demonstram algum diferencial no processo de seleção, tornando muitas vezes a universidade acessível e por sua vez quando conseguir sucesso na carreira ele dará seu retorno através de endowment para a Universidade que o formou. Esse ciclo é muito forte na cultura Americana. Principalmente na área de negócios e nos esportes.

É a maneira dos americanos profissionalizarem o ensino e as doações. Muitos me perguntam, é possível conseguir bolsa de estudos nas universidades, e além disso, quanto eu consigo ($$) e qual o critério. Bem, depende da universidade, por isso é importante entender qual o posicionamento de cada um e qual o seu perfil, pois esses dois fatores tem que se encaixar para então maximizar as chances de conseguir uma bolsa “Gorda”.

grad
1 – Nível de Inglês-  A Proficiência na língua é mandatório, cada universidade tem uma nível exigido de TOEFL ou IELTS, mas não precisa se desesperar, algumas Universidade e Community Colleges parceiros aceitam o certificado de conclusão de inglês de algumas escolas de inglês no exterior como por exemplo o certificado da Kaplan. Dessa forma montamos o programa de acordo com a necessidade de inglês do estudante.

2 – Histórico Escolar-  O Histórico escolar não pode faltar. Eles tem uma frase que muitos “counselors” me diziam “You cannot disregards your past” isto é, seu histórico não pode ser deixado de lado, portanto, suas notas, altas ou baixas sempre contarão na análise. Portanto, quanto maior sua regularidade, mais fácil barganhar uma bolsa. No Brasil temos escolas de altíssima exigência e outras nem tanto, portanto, é normal ter estudantes que estudam em escolas mais fracas com notas altas e estudantes que estudam em escolas exigentes com notas na média, portanto, nós como consultores vamos passar para a adr é o ponto que eles querem analisar, lembre-se que a universidade quer estudantes que irão um dia elevar o nome da instituições com seus feitos profissionais. Recentemente tivemos uma estudante que foi para um preparatório de medicina (A-Level) em Cambridge – Inglaterra e conseguiu uma bolsa de 16500 libras. Os critérios analisados, foram notas, IELTS, carta de intenções, nacionalidade e financeiro.

3 – Cotas-  As universidades americanas, tem divisões por cotas, isto é, existe vagas disponíveis para minorias. Isso faz com que os brasileiros ainda tenham uma grande chance se comparado com os Chineses por exemplo. Em 2014, o número de chineses matriculados na Universidade de Miami foram cerca de 755 e o de brasileiros 65. Essa grotesca margem demonstra o quanto o Brasil ainda tem que crescer no setor de educação superior no exterior. A vantagem desses dados é que de modo geral as universidade procuram por diversidade cultural para equilibrar a população de estudantes dentro do campus universitário, dessa forma, o incentivo para aumentar o mix de nacionalidade dos brasileiro é grande.
missão das universidade como funciona o sistema de ensino e como foi a evolução de cada estudante durante a vida educacional.

4 – Carta de Intenções-  Um dos documentos mais importantes é a carta de intenções, onde o estudante descreve seu histórico e o porque quer estudar nessa universidade. Para chegar nessa fase da análise pela junta de conselheiros da universidade é importante lembrar que o critério nota já foi superado, portanto, agora a briga é entre estudantes do mundo inteiro no critério, de onde eu vim e o porque quero estudar nesta universidade e que poderei contribuir se tiver esta oportunidade. Principalmente em Universidades “Top Tier” as melhores ranqueadas, durante a análise dos estudantes eles já chegaram a um nível de estudantes que já tem o inglês excepcional, notas excepcionais e histórico excepcional. Daí a carta de inteções se torna o grande diferencial, portanto, nessa etapa, quanto maior a maturidade emocional, maior a chance de descrever bem seus objetivos. É claro que o inglês também também será fundamental nesta etapa, pois será avaliado os critérios de redação também. Mas sua história será o grande fator decisivo, a descrição de como você chegou até onde chegou e onde pretende chega

Se quiser mais detalhes me mande um email: [email protected]

Um grande abraço

Mi

Tendo uma forte identificação com a língua inglesa desde cedo, Michele Aki, recebeu sua primeira Certificação da Universidade de Cambridge aos 16 anos de idade. Teve sua primeira experiência como intercambista cultural ao viajar para a Inglaterra, França e Itália.

Devido ao seu forte perfil internacional, iniciou seus estudos acadêmicos no Santa Monica College, Califórnia, onde então adquiriu um conhecimento mais sólido sobre o sistema educacional Americano. Foi admitida por diversas Universidades “top-tier” dos EUA, incluindo a prestigiosa University of California em Berkeley, optando no entanto, pela ensolarada e vibrante cidade de Miami – Florida, onde obteve seu “Double major” em Comunicação e Psicologia pela University of Miami,em Coral Gables.